23 de dezembro de 2009

AMAB: Atendimento Multidisciplinar de Anorexia e Bulimia

Pessoal! Está no ar o site da AMAB (www.amabrs.com) com informações sobre os transtornos alimentares e currículo de todos os profissionais que realizam o atendimento na equipe multidisciplinar. Entrem lá, vale a pena conferir!

16 de dezembro de 2009

O ÁLCOOL COMO COMIDA: DRUNKOREXIA!



Resolvi postar sobre esse assunto pois ultimamente é só o que fala-se em função do papel da atriz Bárbara Paz como Renata na novela Viver a Vida. Drunkorexia, álcoolrexia ou anorexia alcoólica é um transtorno que mistura alcoolismo com distúrbios alimentares.A pessoa substitui o alimento pela bebida alcoolica para emagrecer. O alcoolismo pode ser o processo inicial ou a anorexia e a bulimia ocorrendo junçao ao longo do tempo. Paciente com anorexia e bulimia podem utilizar o
alcool para amenizar algumas situações e sentimentos ruins como a depressão e frustação, além de reduzir o apetite.
Como identificar os sintomas? normalmente pessoas com a drunkorexia preferem as bebidas destiladas. Se nota-se uma diminuição significativa do consumo alimentar associado à necessidade de estar em festas e eventos sociais para beber é possivel que se identifique a doença. Agressividade costuma ser uma das características destes pacientes.
O que pode causar a drunkorexia? este transtorno como todos os demais pode causar grandes danos ao organismo e alguns irreversíveis. Os danos mais imediatos costumam ser vômitos e diarréia. Em função da baixa ingesta de nutrientes (e também o consumo elevado de bebidas alcoólicas), os pacientes com o transtorno são mais suceptíveis a gripes, resfriados, infecçoes e até mesmo a pneumonia. Tremores e formigamentos nos dedos da mão e dos pés costumam ser comuns. Doenças como gastrite, úlcera, anemia, perda de memória, hemorragia, insuficiência cardíaca, alterações na coagulação e pancreatite. Como qualquer transtorno alimentar, a drunkorexia pode sim, levar à morte!
fonte: Associação Brasileira de Transtornos Alimentares.

9 de dezembro de 2009

SHAKES




Imagens meramente ilustrativas!


Chegando o verão, começa o desespero para entrar em forma e os recursos utilizados são os mais variados possíveis e foi por esse -entre tantos outros motivos- que resolvi postar sobre os shakes que substituem refeições. Primeira coisa que sempre me perguntam: e eles realmente funcionam? Minha resposta é sim mas antes de trocar todas refeições por eles, leia este post até o final. Já há hoje em dia, uma enorme quantidade de shakes com os mais diversos sabores, das mais diversas marcas e com objetivos específicos. Há shakes com controle de carboidratos, para diabéticos e em sua grande maioria estes shakes são suplementados e ricos em vitaminas e minerais. Os estudos de um modo geral comprovam que a substituição de uma ou duas refeições por este shakes, acompanhado de uma reeducaçao alimentar e atividade física, podem sim facilitar a perda de peso. E porque então não indicar shake para todos? em primeiro lugar, embora equilibrado em proteínas, carboidratos e gorduras e rico na maior parte das vitaminas e minerais, os shakes são shakes, não comidas que serão consumidas para sempre. Nem com a maior variedade de sabores alguém consegue manter-se muito tempo fazendo uso deles. Os shakes não promovem uma reeducação alimentar, sendo apenas úteis enquanto são consumidos. ALguns estudos ainda demonstram que a substituição de duas refeições diárias por esses shakes, pode diminuir os níveis de triglicérides, LDl colesterol e de glicose sanguínea ( o que poderia ser consequência da perda de peso!).
Como os estudos não avaliam o efeito a longo prazo, o que indico é o uso periódico destas substituições (véspera de verão, esperando o milagre de Natal como brinco, costuma ser uma boa época). Mas não se esqueca que nada como nutrientes in natura e se fosse possível substituir alimentos de forma contínua, viveríamos de capsulas o que de fato ainda não é possível!

2 de dezembro de 2009

COMPULSÃO ALIMENTAR


Um transtorno alimentar que pouco se fala, apesar de ser o mais comum é o transtorno do comer compulsivo ou TCC. Este transtorno carecteriza-se por episódios em que há consumo exagerado de alimentos, também conhecido como compulsão alimentar. Existem pessoas que apresentam estes episódios durante a madrugada ou em qualquer refeiçao do dia. Estas pessoas muitas vezes não sabem que apresentam um transtorno, diagnosticando-se com um apetite aumentado ou mesmo uma "fome de leão" eventualmente. Mesmo muitas vezes desconhecendo a gravidade do caso, estes pacientes que normalmente são sobrepesos, tem dificuldade e vergonha de alimentarem-se em público pela quantidade exagerada de alimentos que ingerem. Alguns sinais que ajudam a identificar este transtorno são:estes pacientes comem quantidades muito grandes, até ficarem além dos satisfeitos, mas sentindo-se "cheios". Não são necessários episódios de fome para ocorrem estes episódios, há grande consumo de alimentos mesmo sem haver fome. Estes pacientes comem muito rapidamente e normalmente sozinhos, pois tem vergonha da quantidade que ingerem. Após estes episódios, o paciente sente-se culpado mas não faz nada para compensar este exagero (diferentemente da bulimia em que se usa métodos compensatórios). São pacientes que sentem-se deprimidos ou apresentam episódios depressivos. Se você conhece alguém que preenche este quadro, ou até mesmo você, o procedimento deve ser o mesmo dos demais transtornos alimentares: procure ajuda especializada e multidisciplinar para um tratamento mais preciso e efetivo.

24 de novembro de 2009

ALIMENTAÇÃO NA ITÁLIA


Tive o privilégio de fazer dois meses de estágio, vivendo em Roma na Itália e por isso achei interessante falar um pouco da alimentação tãooo conhecida deste país. A olhos nus a primeira coisa que é possível de ser notada é que o número de sobrepesos e obesos é mínima, chega a chocar (no bom sentindo!). Quando eu conto isso a primeira pergunta que todos me fazem é a seguinte: mas como, comendo tanta massa?? Bom, primeiro que massa não é um vilão como ja falamos anteriormente, segundo as porções são de fato bem menores que no Brasil e por mais incrível que pareça os molhos não têm a mesma qualidade, dismistificando a tão conhecida comida italiana. Em toda Itália, em qualquer restaurante (incluindo os locais com buffet, que são pouco comuns),há sempre divisão dos pratos, o "primo piato"(primeiro prato) inclui massas, risotos ou algum carboidrato semelhante. O "secondo piato" (segundo prato) seriam as carnes acompanhadas ou não de legumes, ou batatas...algum "contorno"como é chamado. No entanto, dificilmente observa-se italianos comendo o primo e o secondo piato juntos como aqui no Brasil frequentemente comemos. Outra coisa que encanta é a quantidade de saladas e verduras (e que são bem variadas) que eles tem o hábito de comer e isso inclui crianças. As saladas não são baratas de serem compradas em restaurantes, normalmente acompanhando mussarela de búfala ( a melhor do mundo!). Todos restaurantes apresentam opções de secondo piato para vegetarianos como berinjela a parmeggiana, abobrinha a quatro queijos...Pizzas a tallo (pedaço de pizzas) são vendidas em todas esquinas e incluem os mais diversos ingredientes. O funghi é muito barato e é utilizado como um dos principais ingredientes na preparação dos pratos, bem como o tartufo. Leite condensado, arroz branco, feijão são produtos realmente raros de serem encontrados. Quanto aos doces, muitos folhados com a massa sabor limão e acompanhados de chocolate ou de Nutella (como utilizam a nutella para tudo0. Italianos não tem o hábito de comer coisas salgadas no café da manhã, o mais comum são os croissants de chocolate, sem nada ou de marmelada. Alias nunca vi tanta variedade de chocolates numa cidade, acho que nem na Suiça e para terminar, não poderia deixar de falar do sorvete italiano que esse sim merece meus cumprimentos pela qualidade e pelo sabor, deixo como dica os de frutas como o de melão, abacaxi e limão que além de maravilhosos são refrescantes. Tudo isso claro regado a um bom vinho ou uma grapa em pequenas quantidades no café (aquele italiano)...

2 de setembro de 2009

ALIMENTAÇÃO EM LONDRES

E eu que tinha uma impressão horrível da alimentação em Londres...eis que me surpreendo em partes. Os supermercados por aqui (e isso inclui minimercados também) vendem tudo o que vocês podem imaginar, uma variedade de frutas, verduras e alimentos frescos ou congelados imensos e relativamente acessíveis (visto que pagamos em libras e recebemos em real). Nem no Brasil encontramos tantos alimentos saudáveis tão disponíveis (nao com o preço acessível como aqui!!). Em qualquer supermercado você encontra sashimis, cenouras-palito e sanduíches, sempre sanduíches!! Aqui é muito comum as pessoas comerem nas ruas andando ou sentados em escadas de prédios. O que reparei é que além de coisas saudáveis eles tem grande variedade de croissants, donuts, muffins e usam maionese em tudo que se possa imaginar. Mas embora eu achasse meio que impossível, é possível sim ter uma alimentação relativamente saudável e não engordar em Londres e tudo isso sem gastar muito. AS frutas pessoalmente não achei tão saborosas quanto as brasileiras (mas sou suspeita...) Outro ingrdiente que eles utilizam muito aqui, sao os pepinos japoneses e o que mais gostei é que todos estes artigos prontos encontrados nos supermercados vêem com a tabela de composiçao nutricional bem especificada e clara. AGora é impressionante como vendem sanduíches prontos, é em qualquer esquina e eles parecem fazer sucesso com os ingleses (os que eu provei realmente aprovei). Entre outras opções saudáveis mas não menos gordurosas, eles tem o hábito de vender castanhas, nozes, amendoas, avela, amendoim e outras oleaginosas em pacotes, misturadas com passas (como usamos no Brasil), no entanto, achei o preço aqui bem mais acessível!!! Artigos congelados no supermercado



Feiras de rua

HARRODS FOODS

Além de todas sessões postadas, você ainda encontra uma sessão de comida chinesa, comida árabe, mediterrânea, saladas da estação (das mais simples as mais refinadas), comida indiana, quiches, tortas, temperos e patês. Quem estiver por essas bandas ou pretende um dia estar vale a pena conhecer (e comer)! Fica a dica...
Algumas verduras..
Sanduíches (senão não seria Londres...)

Travesseiro de Salmão, tortas de peixes...


Pequena parte dos queijos



Uma das partes das carnes




Comida Libanesa





Seção do Japão














Gente! Aqui em Londres tem uma loja linda e enorme que vende desde carpetes até ostras vivas e eu como nutricionista não pude deixar de registrar a parte das comidas que assim como toda loja é muito variada! Lá se encontra desde frutas frescas até alimentos preparados e muito refinados com salmão, caviar e etc. Eu pessoalmente experimentei um sanduíche de camarão e salmão que amei profundamente e recomendo, curtam as fotos:








24 de agosto de 2009

OBSESSÃO POR PRODUTOS SAUDÁVEIS : ORTOREXIA

Algumas pessoas fazem do centro de suas vidas o cardápio. Rejeitam qualquer alimento que não seja natural, puro, saudável ou controlado. Isso é causado por um transtorno alimentar capaz de deteriorar a saúde tanto física como mental; a ortorexia, obsessão em manter uma dieta saudável que pode causar o efeito contrário, uma alimentação desequilibrada. Os ortoréxicos, rejeitam não apenas os alimentos que engordam ou têm toxinas, mas também aqueles cultivados com adubos e herbicidas, mas os que possuem substâncias artificiais; seu lema é: "nada de gorduras, carnes, alimentos transgênicos, comidas enlatadas, pré-prontas ou com aditivos, lácteos, farinhas, refrescos, cafeína e substâncias químicas!". A obsessão por uma alimentação saudável não se restringe ao alimento, mas também a maneira de preparo e recipientes utilizados; dedicam uma hora para examinar o que vão comer, lêem minuciosamente os rótulos daquilo que compram, comem e cozinham sozinhos por não confiar em restaurantes e mastigam dezenas de vezes antes de engolir. Essa dedicação consome cada vez mais tempo para elaborar menus e pretos e diminui cada vez mais o tempo para sair e se divertir. A obsessão pelo consumo de alimentos saudáveis deixou as academias de ginástica para se tornar nome de doença: a "ortorexia", segundo os psicólogos e nutricionistas, afeta 2% da população de países como os Estados Unidos. A ortorexia é um "fenômeno crescente". Com o tempo, ela pode ser equiparada a outros problemas de saúde, como a anorexia, a bulimia ou a obesidade. Ele recomendou medidas preventivas para deter o seu crescimento, entre elas a educação desde a infância com hábitos alimentícios saudáveis. Quanto mais "severa" for a obsessão, mais alimentos básicos forem excluídos da dieta, continuou o analista. A ortorexia pode resultar em desnutrição, anemia, perda de massa óssea, carências de vitaminas e minerais, fraqueza e um alto risco de infecções. Alguns dos sintomas da doença, disse à Efe a psicóloga clínica Elena Borges, são "passar horas no supermercado" lendo a composição dos alimentos e comprar unicamente os orgânicos, macrobióticos, dietéticos, integrais, sem aditivos, e com garantias de que não contêm conservantes, pesticidas nem herbicidas. Os principais sintomas seriam; dedicar grande parte do dia a decidir meticulosamente o que se vai comer, evitar reuniões sociais e jantares para não "cair na tentação" de ingerir outro tipo de produto, pesar os alimentos e sentir "grande culpa se quebrar as regras" são indícios preocupantes. A falta de auto-estima e o medo do fracasso são outros condicionantes que acompanham os pacientes. Os especialistas apontam outros fatores que desencadearam a tendência. O culto ao corpo e a publicidade de produtos supostamente saudáveis ou enriquecidos estão entre os mais importantes. O ortoréxico se "enche" de produtos funcionais com o objetivo de ficar saudável. Porém, deixa de consumir "80% de outros que são mais saudáveis e básicos para o organismo". Os doentes, em muitos casos "hipocondríacos e excessivamente rígidos em seus comportamentos", acabam acumulando algumas substâncias em excesso, enquanto carecem de outras fundamentais. Nos Estados Unidos, cujas tendências são difundidas para o resto do mundo, ganharam força as campanhas sobre o problema dos alimentos geneticamente modificados e a ameaça de doenças como a da "vaca louca". O país hoje tem o maior número de supermercados ecológicos do planeta.

18 de agosto de 2009

EXAMES LABORATORIAIS


Desde 1991, conforme a Lei 8.234, fica disponível a solicitação de exames laboratoriais necessários ao acompanhamento dietoterápico pelo nutricionista. Após sofrer reformulações, foi estipulado pela Resolução No 306 de 2003 os critérios para os nutricionistas solicitarem tais exames:
Artigo I: compete ao nutricionista a solicitação de exames laboratoriais necessários à avaliação, prescrição e evolução nutricional do paciente;
•Artigo Único II: considerar diagnósticos, laudos e pareceres dos demais membros da equipe multidisciplinar, definindo com estes, sempre que pertinente, outros exames laboratoriais;
•Artigo V: solicitar exames laboratoriais cujos métodos e técnicas tenham sido aprovadas cientificamente.
Estes exames são utilizados como exames complementares para o diagnóstico nutricional mais preciso e são assim considerados como complementares pois apenas podem confirmar deficiências observadas através de sinais clínicos, ou da avaliação dietética, antropométrica, porém por si só não comprovam deficiência nutricional. No entanto, embora caiba ao nutricionista solicitar estes exames, os planos de saúde em sua maioria não os cobrem, exceto para aqueles profissionais vinculados a estes planos. Mesmo com esta dificuldade, é de extrema importância que sejam solicitados estes exames, que podem variar de acordo com o que se pretende verificar, diagnosticar ou de acordo com a doença que o paciente apresenta. Somente utilizand0-se destes exames é que o nutricionista poderá ter uma avaliação mais precisa. É importante que cada pessoa, independente de apresentar doença ou não faça a cada seis meses pelo menos os exames básicos para controle: colesterol total, HDL, LDL, relação colesterol total/HDL, glicose e triglicérides.



12 de agosto de 2009

ANTROPOMETRIA



A antropometria são métodos utilizados para avaliação nutricional que incluem avaliação das dimensões físicas e da composição global do corpo. Ë o método isolado mais utilizado para tal finalidade. Entre tais métodos, podemos destacar o peso, a altura ou comprimento (no caso de crianças até dois anos) , circunferências corporais (abdominal. da cintura, do quadril, perímetro cefálico, circunferência do braço...)e dobras cutâneas. Estes métodos são bastante utilizados pela praticidade de execução, baixo custo de realização e pelo fato de nao causarem quaisquer danos aos pacientes. Estes valores de peso, estatura , muitas vezes são erroneamentes utilizados como diagnóstico nutricional. No entanto, isoladamente estes métodos não têm este poder, eles devem ser sempre utilizados com cautela, tendo valia somente para estudos populacionais, como uma atitude de vigilância. Os métodos antropométricos isoladamente não indentificam carências nutricionais específicas, sempre havendo a necessidade de exames complementares. Portanto cuidado, sempre que for dado um diagnóstico nutricional usando-se somente estes parâmetros, as chances de haver erros são muito grandes e o baixo peso, por exemplo, pode nãqo significar uma má ou baixa nutrição. É importante que antes de qualquer diagnóstico, o profissional utilize-se de todos os métodos que lhe são disponíveis (desde exames bioquímicos até anamnese nutricional) para um melhor interpretação dos achados e consequente prescrição mais específica de tratamento.

5 de agosto de 2009

INTERAÇÃO DROGA- NUTRIENTE



Ocorre quando há um desequilíbrio de nutrientes por ação de um medicamento, ou quando um efeito farmacológico é alterado pela ingestão de nutrientes ou pelo estado nutricional do paciente.
Em nosso corpo, os medicamentos e os nutrientes percorrem o mesmo caminho de absorção e metabolização, o que propicia possíveis interações. A interação pode ser do alimento no medicamento ou do medicamento nos nutrientes, sendo uma via de mão- dupla. Os alimentos podem interferir na ação dos medicamentos de diversas maneiras, sendo o mais comum influenciar na absorção dos medicamentos. Os nutrientes ou os componentes do alimento podem interferir no metabolismo do remédio, ou no modo como ele é decomposto no organismo. Por fim, os medicamentos podem afetar o modo como o organismo elimina os medicamentos.
Alguns medicamentos interferem na absorção de nutrientes podendo afetar o uso ou a eliminação de nutrientes pelo organismo. O infinito número de fontes alimentares de nutrientes e o número crescente de medicamentos aumenta a probabilidade de efeitos indesejáveis entre eles. É importante colocar que embora todos pacientes possam sofrer esse tipo de interação, idosos, imunodeprimidos e pacientes criticamente doentes são mais sujeitos, bem como pacientes recebendo dieta via enteral e o reconhecimento destas interações é essencial no cuidado de um paciente. Sua significância clínica e ocorrência vão depender: da quantidade usada do fármaco, quantidade do consumo do alimento, idade, sexo, estado clínico e físico do paciente, uso de dietas especiais e de suplementos nutricionais. Para isso é importante que você informe ao nutricionista todos os remédios que faz uso contínuo e leia sempre bulas de medicamentos para evitar certas carências nutricionais e diminuição ou exacerbação do efeito farmacológico.

27 de julho de 2009

Proteínas na Alimentação

A proteína é o elemento principal de que as células do corpo precisam para crescer e reparar lesões. Além disso anticorpos que nos protegem das doenças, as enzimas necessárias para a digestão e para o metabolismo e hormônios, como a insulina, são nada mais do que proteínas. Além disso, o tecido conjuntivo e os neurotransmissores são constiuídos de aminoácidos. Com tantas funções designadas à proteína, você pode chegar a conclusão de que ela seja o ingrediente principal na alimentação mais isso não é verdade. Segundo recomendações da Organização Mundial da Saúde de 2003, as proteínas devem corresponder de 10 a 15% das calorias totais diárias, segundo as DRIS (Dietary Reference Intakes) de 2002 esse intervalo poderia ser de 10 a 35% do valor energético total. Esses valores são facilmente ultrapassados por nós gauchos, que consumimos em quantidade excessiva essa fonte alimentar em especial sob a forma de carne vermelha, nos famosos churrascos. Atletas tendem a aumentar também o seu consumo, como forma de ganho de massa muscular, comumente utilizam conjugado a uma alimentação rica em proteína, suplemento tais como o Whey protein. No entanto, tenha cuidado, o alto consumo de proteínas pode afetar negativamente os rins, sobrecarregar o fígado, alterar a saúde óssea, aumentar a incidência de câncer e provocar piora na função cardiovascular. Proteína em excesso como qualquer outro macronutriente acumula-se sob a forma de gordura, não se iluda!
Com excessão do açúcar e dos óleos puros, todos alimentos contêm uma determinada quantidade de proteína, mas sua qualidade varia de acordo com os aminoácidos que eles fornecem.
Proteínas de origem animal fornecem os nove aminoácidos essenciais na proporção que o corpo precisa e por isso, são chamadas de proteínas de alto valor biológico. As proteínas de origem vegetal carecem de um ou mais aminoácidos essenciais. O corpo pode formar proteínas conjugando os aminoácidos dos diferentes alimentos de origem vegetal. Observa-se de um modo geral consumo excessivo de proteínas em países ricos, mas as deficiências deste macronutrientes são também comuns, sobretudo em crianças africanas. O Kwashiorkor (deficiencia proteíca grave) é caracterizado por problemas de crescimento em crianças,debilidades mental e física, edemas, anemia e baixa da imunidade.

22 de julho de 2009

Atividade Física Excessiva? Cuidado com a VIGOREXIA

Muito menos falado do que a anorexia e a bulimia, resolvi trazer dados sobre a vigorexia para que você possa entender e evidentemente, tomar cuidado! A Vigorexia, mais comum em homens, se caracteriza por uma preocupação excessiva em ficar forte a todo custo. Apesar dos portadores desses transtornos serem bastante musculosos, passam horas na academia malhando e ainda assim se consideram fracos, magros e até esqueléticos. Uma das observações psicológicas desses pacientes é que têm vergonha do próprio corpo, recorrendo assim aos exercícios excessivos e à fórmulas mágicas para acelerar o fortalecimento, como por exemplo os esteróides anabolizantes. A adicção ou dependência ao exercício é um transtorno no qual as pessoas realizam práticas esportivas de forma continua, com uma valorização praticamente religiosa (fanatismo) ou a tal ponto de exigir constantemente seu corpo sem importar com eventuais conseqüências ou contra-indicações, mesmo medicamente orientadas. as pessoas que treinam exaustivamente, não apenas para se sentirem bem, mas para ficarem estupendos e perfeitos, são sérios candidatos ao diagnóstico de Vigorexia. Normalmente essas pessoas estão dispostas a manter uma dieta rigorosa, a tomar fármacos e a treinar duro para conseguir seu objetivo. Elas perdem a noção de sua própria corporeidade e nunca param ou ficam satisfeitos.
Os sintomas da Vigorexia se evidenciam pela obsessão em tornar-se musculosos. Essas pessoas olham-se constantemente no espelho e, apesar de musculosos, podem ver-se enfraquecidos ou distantes de seus ideais. Sentirem-se assim "incompletos", faz com que eles invistam todas as horas possíveis em exercícios e ginásticas para aumentar sua musculatura.
E difícil estabelecer limites entre um exercício saudável e um exercício obsessivo, mas é bom lembrar que os vigoréxicos, além da musculação continuada, comem de forma atípica e exagerada. Esses pacientes se pesam várias vezes por dia e fazem continuadas comparações com outros companheiros de academia. A doença vai derivando num quadro obsessivo-compulsivo, de tal forma que eles se sentem fracassados, abandonam suas atividades e se isolam em academias dia e noite.
Alguns pacientes com este quadro podem chegar a ingerir mais de 4.500 calorias diárias (o normal para uma pessoa é 2.500), e sempre acompanhado por numerosos e perigosos complementos vitamínicos, hormonais e anabolizantes. Tudo isso é feito com o propósito de aumentar a massa muscular, mesmo tendo sido alertados quanto aos graves efeitos colaterais desse estilo de vida.
A Vigorexia deve ser considerada um transtorno da linhagem obsessivo-compulsiva, tanto pela obsessão em musculatura, pela compulsão aos exercícios e ingestão de substâncias que aumentam a massa muscular, quanto pela fragrante distorção do esquema corporal.

15 de julho de 2009

NUTRIENTES PARA AS MULHERES: ÁCIDO FÓLICO

Como anteriormente já falamos, uma alimentação saudável inclui alimentos variados, com diferentes nutrientes, em quantidades suficientes para as necessidades nutricionais individuais. No entanto, há fases da vida em que determinados nutrientes podem ser mais necessários. Resolvi começar esta série falando daquele nutriente que sou fã de carteirinha e defensora nata, o ácido fólico (minha dissertação no mestrado é sobre isso!!). O ácido fólico, folato ou vitamina B9
é uma vitamina hidrossolúvel do complexo B que não é sintetizada pelo nosso corpo, sendo a alimentação sua principal fonte. Dentre os alimentos ricos em ácido fólico, podemos destacar vegetais de folhas verdes como brócolis, espinafre, frutas como a banana e a laranja ( e as frutas cítricas de um modo geral), feijão, carnes e todos alimentos preparados a base de farinha de trigo e de milho, mesmo que industrializados (desde 2002 tornou-se obrigatória a suplementação de ácido fólico nas farinhas de trigo e milho). As recomendações de ácido fólico para mulheres é de 400 microgramas/dia, no entanto para gestantes essa recomendação aumenta para 600 microgramas ao dia. Os efeitos benéficos do ácido fólico na gestação, prevenindo espinha bífida e anencefalia do bebê são muito claros, desta forma a suplementação desta vitamina torna-se indispensável. Muitas mulheres não consomem esta vitamina na quantidade adequada então o ideal é que ao se planejar uma gestação haja logo uma suplementação diária. O uso do ácido fólico é útil até o final do primeiro trimestre, então caso você seja uma mulher em idade fértil, pensando em engravidar ou não tomando os devidos cuidados para que isso não ocorra, vá a uma farmácia mais próxima e inicie sua suplementação até o 3 mês de gestação!!! Procure uma nutricionista e consuma bastante alimentos-fonte desta vitamina. Um simples cuidado pode fazer grande diferença para seu filho!

10 de julho de 2009

GRIPES E RESSFRIADOS

Nada mais propício nesta época do ano do que falar de gripes e resfriados. É difícil escapar do nariz escorrendo, da tosse e da dor de garganta. A maioria das pessoas pega um resfriado duas ou três vezes por ano. Em especial neste meses de inverno, as gripes inflingem o mesmo suplício às pessoas.
Embora não exista cura paras as gripes e resfriados, uma boa alimentação pode ajudar a prevení-los, encurtar sua duração ou abrandar os sintomas. No entanto, os milhares de estudos realizados nas últimas décadas não comprovaram que megadoses de vitamina C podem prevenir ou curar resfriados.
Um dos principais efeitos da febre alta (como resultado de um resfriado), é a desidratação. Durante um gripe ou resfriado recomenda-se a ingesta de pelo menos 8 copos de líquidos por dia a fim de repor as necessidades corporais, manter as membranas mucosas úmidas e soltar catarro. Beba água, chá ou caldo. Não ingira bebidas alcoólicas, o álcool tem efeito vasodilatador e promove sensação de entupimento dos seios nasais. Além disso, bebidas alcoólicas ingeridas junto com determinados medicamentos pode pormover efeitos adversos. Além disso, reduzem a capacidade do corpo de combater a infecção. Durante gripes e resfriados, recomenda-se comer sempre que tiver vontade. Alimentos como a canja de galinha são reconfortantes e de fácil digestão além de apresentar cistina que ajuda a afinar o muco. Comidas temperadas com pimenta malagueta e o chili contêm capsaicina uma substância que pode ajudar a diminuir a congestão nasal. O alho, o açafrão e outros condimentos fortes produzem efeito semelhante. Nesta época do ano em que estamos mais propícios a gripe, abuse de frutas, verduras e legumes que são importantes fontes de vitamina C. E não se esqueça dos líquidos que apesar de não apetecer muito são importantes para hidratar e soltar o catarro.

25 de junho de 2009

FAST FOOD- comendo com pressa


Existem restaurantes de fast-food e de entregas por todo o Brail, até mesmo dentro de universidades, livrarias e hospitais. Este tipo de restaurante é responsável por atender milhões de pesssoas por dia. A dependência cada vez maior por esse tipo de alimentos com alto teor de gorduras e calorias e porções gigantescas, é em grande parte, responsável pelo crescente aumento da obesidade (cerca de 40% da população brasileira está acima do peso). Os defensores deste tipo de restaurante, alegam que a maioria das grandes redes de fast food, apresentam alimentos menos calóricos e mais saudáveis no entanto, sabemos que a quantidade de fibras neste tipo de refeições é mínima, bem como de vitaminas e minerais. A maior parte dos alimentos de fast-food são muito ricos em sódio e gordura saturada, além da trans (agora na moda!). A gordura trans observamos preferencialmente no alimentos fritos, sobretudo, nas batatas-fritas. Em função de uma maior preocupação com questões de saúde e peso, cadeias de fast-food como o Macdonald's assumiram o compromisso de reduzir os ácidos graxos trans e as gorduras saturadas em seus produtos e de oferecer cardápios ou opções mais nutritivas. Para aqueles que frequentam a rede, já há disponível diferentes tipos de saladas, sucos( embora bemm artificiais), água de coco, maçã e cenourinhas palito. No entanto, tome cuidado!! Assim como o Macdonald's, o Bob's, o Giraffa's e o Spoleto apresentam saladas que em função do seu molho e acompanhamento podem apresentar mais calorias e gorduras que os seus lanches. A dica que dou é ter cuidado sempre nestes restaurantes, evite-os o máximo que puder. Faça da sua refeição um momento de sentar-se a mesa, comer alimentos saudáveis e de preferência em ambiente calmo e tranquilo e de forma lenta (nao apenas engolindo os alimentos). Ter um tempo destinado unica e exclusivamente à refeição pode possibilitar escolhas mais saudáveis, maior controle sobre os alimentos ingeridos e consequente manutenção ou até perda de peso.

18 de junho de 2009

ALIMENTAÇÃO E O SONO


A qualidade do sono tem um impacto enorme em nossa vida cotidiana, pois problemas para dormir podem afetar o trabalho, a concentração e a habilidade de ínteração com outras pessoas. Durante o sono, o organismo e a mente se regeneram. As necessidades de sono variam de uma pessoa para outra, sendo a média ideal de 7-9 horas por noite. Como os hormônios de crescimento são liberados durante , bebês, crianças e adolescentes precisam dormir mais do que adultos. Alguns fatores podem conhecidamente afetar o sono, entre eles alguns fatores alimentares. O excesso de comida a noite, ou antes de dormir pode causar desconforto digestivo e dificultar o processo de adormecimento, em especial quando a refeição for rica em proteínas que costumam ser mais dificilmente digeridas. Pequenas quantidades de álcool podem ajudar a produzir sono, no entanto, na medida que o organismo metaboliza o álcool, o sono pode se tornar fragmentado. O álcool pode agravar a insônia. Outra substância que merece destaque no que diz respeito ao sono, são os alimentos e bebidas à base de cafeína que de um modo geral dificultam e atrapalham o sono. Merecem destaque neste grupo os cafés, chás, chimarrão, chocolates e bebidas a base de cola, que pessoas sensíveis devem evitar o consumo no período da tarde/noite. Alimentos ricos em gordura ou alimentos que causem indigestão ou azia são também responsáveis por um sono agitado ou dificuldades para adormecer. Pessoas com azia ou refluxo gastrico devem evitar alimentações pesadas e tardias que atrasam o esvaziamanto gástrico. deitar-se de estômago cheio estimula o suco gástrico é ácido a refluir para o esôfago, causando a azia desconfortável e desfavorável a uma boa noite de sono. É importante conhecer seus limites e evitar exageros no período da noite para que se usufrua de uma ótima noite de sono.

8 de junho de 2009

Nutrição na gestação



Em nenhum outro período da vida uma nutrição adequada se faz tão importante como na gestação. A gestação acarreta uma série de alterações anatômicas e fisiológicas para o organismo materno, pois ao longo de aproximadamente 40 semanas, o óvulo fecundado se diferencia, desenvolve e cresce, até tornar-se um lactente com cerca de 3kg. No primeiro trimestre de gestação, o estado nutricional pré-gestacional da mãe é quem irá garantir a saúde e o desenvolvimento do feto. Neste período é que são mais comuns as náuseas e os vômitos. Durante a gestação, a necessidade da maioria dos nutrientes e a quantidade de energia estão elevadas. Nos dois últimos trimestres é que observa-se um maior aumento na necessidade de energia diária, sendo este o período em que o bebe ganha maior parte do peso. Dentre os micronutrientes que merecem atenção na gestação estão: o ácido fólico, ferro, vitamina C, vitamina A, Vitamina B12 e o cálcio. Nem mesmo para as gestantes obesas, recomenda-se a perda de peso durante a gestação pois isso acarretaria num menor fornecimento de energia para o feto desenvolver-se. Para mulheres com baixo peso pré-gestacional, recomenda-se um ganho total de 12,5- 18 quilos. Para mulheres eutróficas, 11,5- 16 quilos e para sobrepesos de 7 a 11,5 quilos. Assim como um ganho de peso adequado pode refletir na saúde e bom desenvolvimento da criança, o ganho de peso em excesso pode causar danos a saúde materna, podendo tornar a gravidez de risco. Entre gestantes que ganham peso de forma excessiva podemos observar diabetes gestacional ou pré-eclâmpsia (pressão alta na gestação). Portanto, é importante que se faça um acompanhamento para que se supra as necessidades específicas de cada gestante bem como possa-se pela alimentação minimizar alguns sintomas que podem ser comuns, como azia, náuseas, constipação e vômitos.

nutri

1 de junho de 2009

Revista Veja


A Revista Veja da última semana de maio vem repleta de dicas, informações e receitas para quem quer emagrecer (especialmente 42 páginas falando do assunto). Além das receitas variadas e saborosas (porque não as considerei tão lights assim...), recomendo a parte das dietas dos artistas. Muitas vezes nós meros mortais, nos questionamos como as atrizes de Hollywood e até mesmo as brasileiras conseguem secar de uma hora para outra, sair da maternidade com uma barriguinha de dar inveja... A revista deixa bem claro: milagres não existem, muito antes pelo contrário. Ali são colocados as mais diversas maneiras as quais estas artistas recorrem: dias sem almoçar, anabolizantes, troca de jantares por alface, salgar e adoçar demais a comida para não comer, lipoaspirações anuais...enfim...loucuras!! Vale a pena ler para não achar que a Globo é quem acelera o metabolismo e que elas não comem tudo aquilo que dizem e adoram nos fazer acreditar. Façam bom proveito!

26 de maio de 2009

BULIMIA NERVOSA


Anteoriormente falamos sobre anorexia nervosa, de forma breve. A Bulimia Nervosa é , no entanto, também um transtorno alimentar em que há intenso medo de engordar. Caracteriza-se por frequentes episódios de comer em demasia, apresentando em alguns momentos compulsão alimentar. Estes episódios são seguidos por métodos de purgação como forma de buscar livrar-se do alimentos. Normalmente é um transtorno que tende a aparecer mais tardiamente e em especial em mulheres.
Sinais de alerta para a Bulimia Nervosa:
- preocupação exagerada com o peso e forma do corpo;
- descontrole na quantidade de alimento ingerido;
- uso frequente do banheiro após as refeições;
- queixas de enjoos e problemas digestivos;
- vômitos frequentes e/ ou uso de laxantes, diuréticos, inibidores de apetite e atividades físicas intensas;
- vergonha do corpo e baixa auto-estima;
- afastamento dos amigos;
- mudanças de humor;
- agitação antes de comer e irritabilidade após comer.
As consequências deste transtorno são muitas, podendo aparecer sintomas de desnutrição mesmo com o peso adequado, dilatação do estômago, intestino preso, hemorragias e perfuração do esôfago e estômago, perda de dentes, lesão nos rins, problemas de fígado e rins.
E o mais importante de tudo: pacientes bulímicos nem sempre são magros ou apresentam perda considerável de peso, apresentando muitas vezes inclusive sobrepeso.

6 de maio de 2009

Comercial do Ano de 2008

video Vale a pena conferir o comercial do ano de 2008 que aborda justamente aquilo que ja falamos no blog: anorexia nervosa. Desfrute de toda maneira que puder...

4 de maio de 2009

Super Interessante


Para aqueles que gostam de saber de nutrição, a revista Super Interessante do mês de abril/maio vem com a notícia de capa falando de dietas: a Farsa das Dietas. Muitas das informaçòes contidas na reportagem foram e são colocadas aqui no blog. Não encontrei nenhum absurdo e os dados ali são bastante válidos, apesar de básicos. Gostei da reportagem e recomendo! Vale a pena dar uma conferida para dismistificar muitos mitos e aprender como perder peso de forma saudável. A revista pode ser folhada online pelo link http://super.abril.com.br/revista/sumario-edicao-265.shtml. Faça bom proveito e devore-a como puder!

3 de maio de 2009

NUTRIÇÃO difundida a todos

Costumo utilizar esta charge, inclusive em minhas aulas, pois a considero bastante pertinente. Cada vez mais achados sobre nutrição estão difundidos pelos mais diversos meios: revistas, livros, programas de televisão e etc. Acredito que um maior número de pessoas tendo acesso a informação pode sim ser de grande valia. Desde que estas informações tenham respaldo científico. Só acredito naquilo que a ciência me prova e não basta que sejam artigos elaborados por doutores ou publicados em importantes periódicos. Precisamos avaliar uma série de coisas antes de utilizarmos qualquer dessas informações, estudos em animais nem sempre têm mesmo efeito que em humanos, a amostra é significante? E a análise estatística? Enfim... o "Globo Repórter"adora falar de nutrição (nada contra o programa...), mas um dia o chocolate é o vilão no outro ele se torna antioxidante. E qual o problema disto? Os Estudos não estão ai para justamente quebrar certos tabus? Sim!!!! Mas infelizmente as informações se difundem de forma errada, lembro bem quando lançaram essa novidade do chocolate como antioxidante...O outro dia era todo mundo comendo chocolate, sem aquele peso na consciência afinal chocolate fazia bem...ninguém no entanto, consumia o chocolate a 70% de cacau, o que teria este poder. Cuidado, as informações estão ai, para quem quiser ter acesso a elas. Mas certifique-se da procedência desta informação e saiba que tudo pode mudar em questão de segundos (ou até um próximo estudo). Antes de adotar qualquer mudança na sua alimentação procure um profissional, espere mais estudos, verifique o efeito a longo prazo. Não se esqueça que os programas, as revistas querem vender e para isso quanto mais chocante for o achado melhor...mas você não pode nem deve expor sua saúde a tudo isso.

24 de abril de 2009

ALIMENTOS INTEGRAIS


Cereais integrais são aqueles mantidos com sua estrutura original e completa, mandento o farelo o endosperma e o gérmen. São os alimentos que não passam por refinamento, processo que faz com que nutrientes que poderiam ser aproveitados pelo organismo, sejam perdidos. Desta forma, os cereais integrais nos fornecem mais vitaminas, minerais, têm propriedades antioxidantes e são mais ricos em fibras que colaboram para manutenção da glicemia, do colesterol e do bom funcionamento do intestino. Estudos realizados nas últimas décadas têm demonstrado efeito benéfico destes alimentos não somente na qualidade de vida, mas na perda de peso ou manutenção deste. As fibras encontradas nestes alimentos promovem saciedade por maior tempo, evitando picos elevados de glicose que podem ser causadoras de hiperglicemia ou diabetes no futuro. Mas um cuidado importante, falar nos benefícios dos alimentos integrais, inclui o grupo dos cereais e açúcares ( arroz integral, farinha integral, pão integral, biscoitos integrais, soja, grãos e cereais matinais), neste grupo NÃO inclui-se o leite integral, fonte considerada de gordura. Pacientes com dieta rica em alimentos integrais, além de menor chance de desenvolverem diabetes, apresentam menos risco de determinados tipo de câncer. Ao contrário do que muitos pensam, no entanto, alimentos integrais costumam ter mais calorias que alimentos refinados, embora indicustivelmente sejam muito mais saudáveis. O aumento das calorias proporcionadas por estes alimentos, em comparação aos "brancos", a longo prazo não altera o peso do paciente sendo de fato estes alimentos mais recomendados. Sempre que possível e sem questionar-se, opte por estes alimentos ricos em fibras e nutrientes. Sua saúde agradece!

12 de março de 2009

BIOIMPEDÂNCIA

Para avaliação da composição corporal, um dos métodos mais precisos passíveis de serem realizados em consultório, é o exame de bioimpedância. Através deste exame, uma corrente elétrica de baixa voltagem passa pelo corpo separando-o em dois compartimentos: a massa magra e a massa gorda. A massa magra é condutora da corrente elétrica e a massa gorda isolante dessa forma em poucos minutos obtêm-se a avaliação quase que precisa da composição corporal. No entanto, para que o exame seja confiável, alguns cuidados devem ser tomados pelo paciente antes de realizar o exame e durante este. Valores como percentual de gordura corporal, quantidade de água sobre a massa magra, quantidade total de litros no corpo e peso e percentual de massa magra são conhecidos em minutos. Este exame só é contra-indicado para pacientes com marcapasso ou gestantes. É um tipo de acompanhamento ideal para quem realiza atividade física ou mesmo para pacientes em tratamento nutricional para um monitoramento mais preciso da perda de peso. Este equipamento e exame está disponível em meu consultório e incluído nos pacotes nutricionais, podendo ser somente realizado este também. A margem de erro do resultado é de 2-3%, valor bem inferior ao relacionado aos adipometros.

HIPERCOLESTEROLEMIA (Colesterol Alto)

Colesterol é um composto a base de gordura que naturalmente faz parte do nosso corpo. É uma substância essencial à formação das paredes celulares, além de ser utilizado na produção de hormônios. Há basicamente, dois tipos de colesterol, o HDL ( lipoproteína de alta densidade) e o LDL (lipoproteína de baixa densidade). O HDL, popularmente conhecido como colesterol bom é vital para certas funções biológicas, tem função antioxidante além de promover remoção do LDL das paredes das artérias e veias impedindo danos maiores. Os valores de referência para o HDL, são valores entre 40-60 mg/dl. O LDL, conhecido como colesterol ruim, se acumula nas paredes das veias e artérias, estreitando a passagem do fluxo sanguíneo, podendo entupi-las. Este colesterol é o responsável pela formação de placas de ateroscleroma que podem resultar em problemas cardíacos e acidente vascular cerebral. O colesterol alto só se manifesta em estágios mais avançados, desta forma recomenda-se exames de rotina para monitorar os valores. As causas não necessariamente são decorrentes de uma alimentação rica em gorduras e hábitos de vida não saudáveis, sabe-se que há casos de hipercolesterolemia congênita onde o organismo tem dificuldade de metabolizar o colesterol manifestando-se em níveis elevados. Para redução destes valores o ideal é trocar queijos gordurosos por queijos magros, leite integral pelo desnatado, carne vermelha por peixes e frango. Deve-se evitar frituras, doces gordurosos, molhos a base de creme de leite, manteiga e margarina. Óleos vegetais são boas fontes de gordura a serem consumidos, merecendo destaque o de canola, oliva, girassol e de soja. A alimentação deve ser rica em fibras oriundas de frutas, verduras e leguminosas. É importante manter-se o peso, praticar atividade física e evitar aumentos bruscos da glicose sanguínea, preferindo sempre alimentos integrais aos refinados (arroz branco, pão branco...). Abaixo seguem os valores de referência para o colesterol total para adultos com 19 anos ou mais:

Desejável < 200 mg/dl
Limítrofe 200 - 239 mg/dl
Elevado > 239 mg/dl
e se você: fuma, é sedentário, tem história familiar de doenças cardiovasculares, é homem com mais de 45 anos, mulher com mais de 55 ou é hipertenso, CUIDADO, seu risco pode ser aumentado!