27 de julho de 2009

Proteínas na Alimentação

A proteína é o elemento principal de que as células do corpo precisam para crescer e reparar lesões. Além disso anticorpos que nos protegem das doenças, as enzimas necessárias para a digestão e para o metabolismo e hormônios, como a insulina, são nada mais do que proteínas. Além disso, o tecido conjuntivo e os neurotransmissores são constiuídos de aminoácidos. Com tantas funções designadas à proteína, você pode chegar a conclusão de que ela seja o ingrediente principal na alimentação mais isso não é verdade. Segundo recomendações da Organização Mundial da Saúde de 2003, as proteínas devem corresponder de 10 a 15% das calorias totais diárias, segundo as DRIS (Dietary Reference Intakes) de 2002 esse intervalo poderia ser de 10 a 35% do valor energético total. Esses valores são facilmente ultrapassados por nós gauchos, que consumimos em quantidade excessiva essa fonte alimentar em especial sob a forma de carne vermelha, nos famosos churrascos. Atletas tendem a aumentar também o seu consumo, como forma de ganho de massa muscular, comumente utilizam conjugado a uma alimentação rica em proteína, suplemento tais como o Whey protein. No entanto, tenha cuidado, o alto consumo de proteínas pode afetar negativamente os rins, sobrecarregar o fígado, alterar a saúde óssea, aumentar a incidência de câncer e provocar piora na função cardiovascular. Proteína em excesso como qualquer outro macronutriente acumula-se sob a forma de gordura, não se iluda!
Com excessão do açúcar e dos óleos puros, todos alimentos contêm uma determinada quantidade de proteína, mas sua qualidade varia de acordo com os aminoácidos que eles fornecem.
Proteínas de origem animal fornecem os nove aminoácidos essenciais na proporção que o corpo precisa e por isso, são chamadas de proteínas de alto valor biológico. As proteínas de origem vegetal carecem de um ou mais aminoácidos essenciais. O corpo pode formar proteínas conjugando os aminoácidos dos diferentes alimentos de origem vegetal. Observa-se de um modo geral consumo excessivo de proteínas em países ricos, mas as deficiências deste macronutrientes são também comuns, sobretudo em crianças africanas. O Kwashiorkor (deficiencia proteíca grave) é caracterizado por problemas de crescimento em crianças,debilidades mental e física, edemas, anemia e baixa da imunidade.

Nenhum comentário: