21 de junho de 2010

SAL E SÓDIO NA ALIMENTAÇÃO

      Embora os termos sódio e sal sejam utilizados como sinônimos, eles não são a mesma coisa. O sódio é um elemento que se liga com o cloro para fomrar o cloreto de sódio, o sal de cozinha. O sódio está naturalmente presente na maioria dos alimentos e o sal é a fonte mais comum de sódio na alimentação.
     Um alimento pode conter sódio de diferentes maneiras, ele já pode estar naturalmente presente, pode ser adicionado durante o preocessamento ou cozimento e ainda pode ser acrescido à mesa, antes de ser consumido. As principais fontes na alimentação são os alimentos processados e os enlatados. Muitos alimentos são facilmente identificáveis como fonte considerável de sódio como por exemplo, batatas chips, biscoitos de água e sal, castanhas, nozes..., no entanto, em alguns outros alimentos só descobrimos a presença de sal se consultarmos  a lista de ingredientes. Cereais, frios, sopas e legumes enlatados, pratos pré-preparados e produtos de confeitaria industrializados costumam ter alto teor de sódio.De um modo geral, quanto mais processado for o alimento, maior seu teor de sódio.
     Hoje em dia, já se sabe, que assim como o açúcar em excesso, o sal em excesso pode ser um grande vilão à sua saúde e no processo de emagrecimento. Pessoas com tendência genética  a reter sódio, têm uma pedisposição aumentada à hipertensão.À medida que os rins retêm mais sal do que o necessário, excretam menos urina, de forma que os líquidos mantenham-se no corpopara manter o equilíbrio de sódio. Consequentemente, o coração é impelido  a bombear com maior intensidade para manter o líquido adicional em circulação e a pressão arterial sobe para manter o fluxo sanguíneo. Desta forma, restringir a ingestão de sal pode corrigir a pressão alta.
     É importante ressaltar que o aumento do volume sanguíneo que ocorre durante a gravidez, eleva temporariamente as necessidades do corpo por sal, mas a quantidade necessária costuma ser adquirida com uma alimentação variada e eequilibrada. Gestantes devem preparar refeições com pouco sal e evitar adicioná-los aos alimentos.
     Cada pessoa, de acordo com seu sexo, idade e estilo de vida, apresenta necessidades diárias específicas e diferentes quanto ao sódio e o sal total a serem consumidos. No entanto, muito mais que benefícios, o excesso, traz malefícios à sua saúde por isso, aqui seguem algumas dicas para redução do seu sal diário:
- Use temperos que não contenham sódio, como: ervas frescas, alho, cebola e mostarda desidratada, coentro, limão, menta, cominho, manjericão, gengibre, pimenta, pimentão, cebolinha e salsa.
- Prepare seu próprio molho de salada, abrindo mão dos industrializados, use vinagre ao invés de sal para temperar;
- Coma mais frutas, verduras e legumes fescos ou congelados, ao invés dos enlatados. Ao invés de sal, acresça na água temperos e ervas.
-Coma peixe fresco ou congelado ao invés de desidratados ou enlatados;
e o mais importante:
- REEDUQUE SEU PALADAR, o sal não deixa de ser uma questão de hábito. Diminuia aos poucos, sem mudanças muito bruscas mas que aos poucos, vá fazendo a diferença. E não esqueça que o sódio, quando em excesso, é um vilão à sua saúde!

Um comentário:

Ministério da saúde disse...

Olá blogueiro!
O número de pessoas com hipertensão no Brasil aumentou de 21,5%, em 2006, para 24,4%, em 2009. A hipertensão é uma doença silenciosa e ataca todas as faixas etárias. Por isso, junte-se à campanha de combate e controle da hipertensão do Ministério da Saúde. Você pode ajudar na conscientização da população por meio do material de campanha que disponibilizamos para download.
Caso se interesse, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br
Obrigado!
Ministério da Saúde