25 de novembro de 2008

TRANSTORNOS ALIMENTARES

Como muitos de vocês a uma altura destas já deve estar sabendo, estou trabalhando nos transtornos alimentares do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, com crianças e adolescentes. Fiz 5 anos de nutrição, estou a 3 formada e confesso que nem assim eu tinha idéia da complexidade destes casos. Gente crianças com anorexia, crianças induzindo vômito e quando a gente pensa que a magreza das modelos ou o padrão das atrizes é o causador de tudo isso, se descobre que na verdade há muito mais coisa por trás. Há quem diga, que tudo é falta de laço, mas quem assim o diz é porque nao sabe do que fala. No tratamento destes pacientes, a terapia de família é as vezes mais importante que o tratamento individual. A família é sim, e em grandes proporções, responsável por tudo isso. Anorexia, bulimia e síndrome do comer compulsivo e obesidade não são frescuras nem relaxamento de ninguém, são doenças psíquicas e assim devem ser tratados. Pretendo, aproveitando essa minha nova experiência, ir explicando-lhes melhor sobre cada um dos transtornos para que você possa conhecer e até mesmo ficar atento a sua volta pois tudo isto é mais comum que nos parece ser. Deixo aqui um parágrafo que li no livro da Sônia Tucunduva e da Marle Alvarenga que achei bem interessante para introduzir o assunto:

"Vive-se hoje a ditadura da lipofobia: nad de gorduras, nada de excessos nesse corpo psiquíco. Mas o psiquismo está carregado de excessos: onde colocar os medos, a ansiedade, a impulsividade, se os excessos não são autorizados? Como comer pouco, moderadamente, de forma saudável, em um mundo ancioso, impulsivo, que oferece excesso de alimentos, de dietas e de angústia o tempo todos? "

Um comentário:

carolina disse...

ÓTIMA COLOCAÇÃO doutora! Sou estudante de Nutrição, me formo ano que vem e pretendo fazer minha monografia sobre transtornos alimentares! Deve ser um trabalho muito gratificante! Boa sorte! Beijos